Livro Inteligência Aprisionada: breves impressões

Livro Inteligência aprisionada: breves impressões

O livro Inteligência Aprisionada foi escrito por Alicia Fernández (1946 – 2015).  Conhecida como grande pesquisadora argentina, estudiosa e influenciadora da Psicopedagogia, especialmente no Brasil. Hoje, escreverei minhas impressões da obra citada, leitura obrigatória para psicopedagogos, sejam eles atuantes ou em processo de formação inicial.

No livro Inteligência Aprisionada,  Fernández nos passa sua experiência enquanto fundadora e organizadora maior do DIFAJ (Diagnóstico Interdisciplinar Familiar de Aprendizagem em uma só Jornada). Tal vivência teve início com a criação de um Centro de Aprendizagem no Hospital Posadas, em coordenação com profissionais do Hospital de Morón e Hospital de Crianças da Cidade de Buenos Aires.

Leia também:

Entenda o que é a Psicopedagogia Institucional

Aprenda de modo rápido o que são modalidades de aprendizagem e ensine melhor

Seu olhar atento mostrou que muitos responsáveis pelos aprendentes que procuravam os serviços de diagnóstico em psicopatologias acabavam desistindo. Parte desses sujeitos perdia os atendimentos por constantes remarcações das sessões. Isso se dava por motivos pessoais e também por falta de recursos para ir, semanalmente, ao hospital.

Unindo este dado ao seu desejo de maior participação familiar nas investigações sobre os aprendentes, Inteligência Aprisionada nos mostra a criação de uma única sessão diagnóstica. Com duração de 4 horas, a equipe de psicopedagogos que a dirige também conta, sempre que necessário, com o olhar de outros profissionais. Tal sessão objetiva elaborar primeiras hipóteses e encaminhamentos para o aprendente e seus familiares.

Confesso que, a princípio, fiz questionamentos quanto a viabilidade de um “fechamento” assim tão rápido, mas logo percebi que, dentro da proposta da autora, que estende o diagnóstico à própria intervenção, ele é, sim, exequível.

“[…] todo o processo terapêutico é também diagnóstico. Quem tem o saber sobre o que está acontecendo (ainda que não tenha o conhecimento) é o próprio paciente. O desdobramento e o afloramento do mesmo acontecerá durante o processo de tratamento.” (FERNÁNDEZ, 1991, p. 44).

Inteligência Aprisionada, então, fala-nos da realização desse trabalho, dando detalhes de suas etapas e bases teóricas. Orientações bem pertinentes, que podem ser aplicadas a prática de profissionais outros, como professores, são oferecidas ao longo de seus capítulos. Por isso, vale a pena conferi-lo.

E você, conhece o livro ou as ideias da Alicia Fernández? Conta pra gente nos comentários. Não deixe de participar.

Referência

FERNÁNDEZ, Alícia. A inteligência aprisionada: abordagem psicopedagógica clínica da criança e sua família. Porto Alegre: Artmed, 1991.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *