Cinco importantes dicas para professores iniciantes

dicas professor iniciante

Sermos professores iniciantes não é fácil. O início de qualquer carreira traz desafios; nos trabalhos interativos, como o nosso, eles se multiplicam infinitas vezes. Lembro bem das dúvidas, ansiedade e expectativa que antecederam meu primeiro dia à frente de uma sala de aula (assumi, em 2014, uma turma de 5º ano, enquanto professora substituta do município de Fortaleza).

Minhas primeiras experiências me fizeram refletir sobre as lacunas na formação que recebi em meu curso de graduação, sobre o quanto os docentes recém-ingressos no magistério são desacompanhados pelo núcleo gestor e sobre o quanto uma certa angústia pode abater.

Caso tivesse recebido as cinco dicas que vou escrever aqui, desde o início, teria me apaixonado por minha profissão (amo ser professora). Existem muitas outras orientações que poderiam ser dadas. Caso já esteja em atividade, que tal deixar suas contribuições nos comentários? Ajudaria bastante. Bem, vamos a nossa pequena lista:

Professores iniciantes: fazer combinados com as turmas é muito importante

Na escola, como bem nos orientam as atuais legislações educacionais e literatura científica, devemos pensar nos educandos em suas múltiplas dimensões. Isso significa que também se deve atentar tanto para o aprendizado dos conteúdos escolares quanto para a motricidade, a afetividade e a moralidade dos sujeitos.

Construir, juntamente com a turma, as regras de convivência escolares, e redigi-las em um cartaz – fixado de modo visível em sala de aula – e lê-las diariamente, no início de cada dia, auxiliará os alunos a saberem o tipo de conduta adequada para o ambiente que se encontram.

Ter sempre em mente os objetivos da aula também

Elaborar um bom plano de aula faz toda a diferença, especialmente se formos professores iniciantes. Não precisa ser nada mirabolante – na maioria das escolas públicas, não se encontrará recursos para pô-lo em prática. Mas ter um roteiro em mãos faz toda a diferença.

Ele necessita, contudo, estabelecer uma atividade base, que você vai se esforçar para que boa parte da turma realize, bem como atividades extras, que serão passadas apenas aos alunos que terminarem às atividades bases. Assim, todos permanecem em trabalho a partir do nível em que se encontram. Atentar para essas diferenças deve ser uma habilidade bem trabalhada na vida profissional dos docentes.

Utilizar ajudantes/monitores favorece o bom desenvolvimento da aula

Minhas turmas são sempre um desafio (sou professora de escola pública). Ter estudantes com dificuldades de aprendizagem, deficiências e diferentes ritmos de internalização dos conteúdos é uma constante.

Para conseguir administrar tal heterogeneidade e dar conta das necessidades individuais dos discentes, busco que os alunos mais adiantados, ao término de suas tarefas, ajudem aos colegas.

Atividades em duplas e em pequenos grupos, se bem administradas, também favorecem ao aprendizado da turma. Para professores iniciantes, essa administração pode ser mais difícil de ser exercida. Elaborar combinados para essas situações específicas, e lê-los antes de iniciá-las, vai colaborar. Quando a turma sair dos trilhos, relembre as regras.

Cuidar da sua voz é imprescindível - professor reflexivo
microfones podem lhe auxiliar em sala de aula

Cuidar da sua voz é imprescindível

Busque falar de modo que os alunos lhe ouçam, mas sem prejudicar sua saúde vocal. Ao explicar, desligue os ventiladores; feche a porta, para evitar a interferência de ruídos externos; coloque-se de pé; tente articular bem as palavras, bem como realizar expressões corporais. Isso auxiliará a correta compreensão de sua mensagem.

Caso fale naturalmente baixo (meu caso), microfones são bem-vindos. Eu os utilizo desde o começo da carreira. Descanso vocal nos intervalos entre as aulas e ao fim de um dia de trabalho são tão imprescindíveis quanto aquecer e desaquecer a voz (realizo essas ações diariamente). Para orientações nesse sentido, procurar a ajuda de um fonoaudiólogo se faz importante.

Hidratar-se bem, cuidar da alimentação e ter uma boa noite de sono também fazem toda a diferença. Ande sempre com sua garrafinha de água (beba pequenos goles constantemente), coma uma maçã por dia e, caso tenha refluxo, busque tratá-lo. Nada de cair na tentação de sair da dieta para, no dia seguinte, ter aquela sensação de queimação horrível na garganta.

Não absorver tudo que se ouve nos livra de muitos problemas

No começo da docência, até hoje, na verdade, ouço muitos colegas reclamando do trabalho, do salário e dos alunos. Aconselharam-me até a desistir da carreira. Imagine ter que ouvir tudo isso enquanto professores iniciantes… Bate logo um desespero, vontade de desistir e fazer outra coisa da vida… Mas, calma.

O pior, contudo, foram os olhares e as falas de alguns colegas que não acreditaram que eu, uma jovem professora, baixinha e de voz mansa, pudesse dar conta de uma turma de 5º ano da rede pública de minha cidade. Esses descréditos podem ser bem desestimulantes.

Fiquei apavorada com as histórias que ouvi e com o quadro que me pintaram. Mas, com dedicação, estudo e reflexão, estou vencendo as dificuldades que encontro e que, diferentemente dos olhares de meus colegas, não são maiores dos que aquelas encontradas em qualquer outro ano letivo, com qualquer outro professor e em qualquer outro contexto.

Esse artigo te ajudou? Quer compartilhá-lo com outros colegas? Conta pra gente. Estamos esperando seus comentários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *